Niterói

Simpósio Teológico Internacional: uma reflexão sobre o sacerdócio

Uma ampla reflexão sobre o sacerdócio, num contexto de mudança dos tempos e também da Igreja. Este é o ponto a partir do qual pretende iniciar o Simpósio Teológico Internacional intitulado “Por uma Teologia Fundamental do sacerdócio”, organizado pela Congregação para os Bispos de 17 a 19 de fevereiro de 2022. A iniciativa, apresentada na Sala de Imprensa da Santa Sé, nesta segunda-feira (12/04), é um evento que pretende ser abrangente, envolvendo toda a Igreja em sua análise, como explicou Michelina Tenace, professora de Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana.

Tenace: O Simpósio é principalmente um Simpósio vocacional. É interessante entender que se apresenta no contexto de um caminho sinodal, desejado pelo Papa Francisco. Neste caminho, todos os fiéis são chamados a se envolver, a rever em que se baseia sua vocação. Este Simpósio foi animado principalmente pelo cardeal Oullet, prefeito da Congregação para os Bispos, que afirma que os principais destinatários da iniciativa são os bispos. Isto nos mostra a particular importância do tema para toda a Igreja. O purpurado também afirma que é particularmente urgente relançar a questão do sacerdócio, “uma questão crucial para o nosso tempo”, afirma ele. O Simpósio deseja, então, ajudar a compreender por que a questão do sacerdócio é tão importante para o nosso tempo. É interessante porque significa que a questão do sacerdócio não atinge apenas algumas pessoas que, como sacerdotes, estão em dificuldade, mas diz respeito à transformação que está ocorrendo em toda a Igreja, e toda a Igreja deve ser entendida como um corpo animado pela vida do Espírito, um corpo vivo em que cada membro deve seguir, deve relançar o impulso de vida onde o Senhor o chamou, onde se encontra.

O que se entende por Teologia Fundamental? Quais são os desafios no cenário mundial atual?

Tenace: Precisamos começar por entender qual é o fundamento teológico do sacerdócio. A resposta pode parecer muito simples porque o fundamento é o sacerdócio de Cristo, mas na realidade não é tão simples assim. O próprio Papa Francisco diz que o povo santo de Deus ungido pelo Espírito é todo sacerdotal. Então o tema torna-se interessante, porque se todo o povo de Deus é sacerdotal, se há um sacerdote que é Cristo, então o único sacerdócio de Cristo, que ligação tem com o sacerdócio que chamamos ministerial, o dos ordenados, e o sacerdócio comum dos batizados? Um Simpósio sobre o sacerdócio ministerial levará necessariamente a falar sobre o sacerdócio comum, o Batismo. Portanto, os ministros ordenados são indispensáveis para a Igreja, ninguém nega isso porque nos dão os sacramentos, a Eucaristia, o perdão dos pecados, mas hoje se insiste muito em dizer que um sacerdote sozinho não é um sacerdote para si. O povo de Deus é indispensável porque expressa a vida que nos vem da Eucaristia, do perdão, ou seja, uma vida de caridade, uma vida de crescimento de carismas, de cultura, de beleza. Portanto, a Teologia Fundamental do sacerdócio se concentrará no fato de que todos somos chamados a expressar a presença de Deus na Terra. Este é o tema do sagrado. Então há muitas questões atuais. Dentre elas está como desclericalizar o clero. É um belo desafio porque o clericalismo deriva de uma visão equivocada do sacerdócio: o sacerdote como isolado, acima de todos.

Católico