Niterói

Notícias Arquidiocesanas

SECOM prepara-se para transmissão da Ordenação Sacerdotal

A Ordenação Sacerdotal é um momento muito esperado por quem escolhe seguir a vida religiosa. É uma mistura de alegria, esperança e responsabilidade, para que com zelo, cuide da porção do povo de Deus que a ele será confiada. O Setor de Comunicação da Arquidiocese de Niterói (SECOM ArqNit) irá transmitir a íntegra da Ordenação, amanhã, a partir das 9h20 nas Rede Socias e na Rádio Anunciadora. Através da imposição das mãos do Arcebispo Metropolitano de Niterói, Dom José Francisco, a Igreja Particular de Niterói terá dois novos sacerdotes. Os diáconos Isaías de Sousa Sá  – “Acordando José do sonho fez como ordenara o anjo do Senhor, recebendo sua esposa” (Mt 1,24), e João Gabriel Camillo de Camargo – “Restaurar todas as coisas em Cristo” (Ef 1,10) serão ordenados padres, em Cerimônia na paróquia Porciúncula de Santana, situada na Avenida Roberto Silveira, 265, Icaraí, Niterói. O diácono Isaías enviou uma mensagem para a redação do Setor de Comunicação da Arquidiocese de Niterói, em que lembra a importância de se entregar ao Senhor. Disse ele: “Amados irmãos e irmãs, é com muita alegria que subo ao altar de Deus, subo silenciosamente, com o coração alegre e cheio de temor, pois “sei” onde o Senhor me levará. Todavia, como diz a letra de uma canção, “onde estaria eu se não fosse o teu amor, Senhor? Como seria feliz se não fizesse o que me manda o meu Senhor, tornar-me um consagrado por amor”, faço desta, minha oração. Ouvi a sua voz, senti o seu chamado, então me decidi, e me lanço, me entrego nos braços do Seu amor. E nesse amor quero permanecer, quero me consumir, para o meu próprio bem e para o bem de toda Igreja e, acima de tudo, para honra e glória de nosso bom Deus!”, concluiu. “O dia da ordenação sacerdotal é o mais esperado para um candidato ao sacerdócio. Aguarda-se, ansiosamente, porém sabe-se de antemão que não é a conclusão de um ciclo, ou uma formatura, mas o início de uma vida doada a Deus. Estou muito feliz por esse dia. Sou natural de Campinas – SP, e sair de casa para o seminário, em outro estado, foi um desafio, junto com tantos outros que apareceram pelo caminho, mas todos me prepararam para esse momento”, disse o diácono João Gabriel. Segundo o diácono, “o mundo, mesmo que não saiba, precisa do sacerdote, para rezar por ele e oferecer o sacrifício diário por sua salvação. Irei me tornar padre para me unir mais a Deus, e assim unir Deus a todos os seus filhos dispersos. Peço a Deus a graça de ser fiel até o fim, para honra de Seu nome e o bem do povo de Deus. Fui escolhido por Cristo para guiar e edificar a sua Igreja. Embora aja com a autoridade de Cristo, não passo de um simples administrador, alguém que deve cuidar fielmente de uma casa que não é sua. No fim, “somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer.” (Lucas, 17, 10) O Arcebispo de Niterói, Dom José Francisco, presidirá a Santa Celebração. Na ocasião, estarão concelebrando o Bispo Auxiliar, Dom Luiz Antonio, o Arcebispo Emérito de Niterói, Dom Frei Alano Maria Pena OP, o Vigário Geral, Padre Carmine Pascale, Padre Douglas, reitor do Seminário e diversos padres e diáconos da Arquidiocese. O sacramento da Ordem é constituído por três graus: episcopal, presbiteral e diaconal. Cada qual possui um rito de ordenação próprio, porém o comum entre eles é a imposição das mãos e a prece de ordenação. O segundo grau do ministério da Ordem é o presbiteral, denominado também, sacerdotal. Segundo o Pontifical Romano, a ordenação presbiteral é constituída por seis partes: eleição do candidato, homilia, propósito do eleito, ladainha, imposição das mãos e prece de ordenação, unção das mãos e entrega da patena e do cálice. Como as demais ordenações, a sacerdotal é realizada dentro da Eucaristia. Logo após a Liturgia da Palavra, dá-se início ao Rito de Ordenação Presbiteral. Por João Dias Arte: Seminário São José

O post SECOM prepara-se para transmissão da Ordenação Sacerdotal apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Anunciadora reformula programação e apresenta pílulas oracionais

A partir de hoje, dia 18 de outubro, a rádio Anunciadora, a rádio oficial da Arquidiocese de Niterói, apresenta novidades em sua programação. Após a reprogramação do conteúdo Oracional, no qual, o responsável pelo veículo, o diácono Nélio do Amparo, grava diariamente, a reformulação faz parte de uma acentuação de dois eixos escolhidos pela emissora: ter mais pílulas oracionais ao longo da programação e, também, dar ênfase à música católica brasileira. Também são novidades na grade da rádio a participação das Pastorais, no programa Tarde de Fé, que vai ao ar de segunda a segunda de 15h às 18h, sobre o comando do diácono Nélio do Amparo. Tirando as novidades, seguem os programas “Fé e Cidadania” que agora, conta com a apresentação de Lúcio Machado, Raphael Costa, Ciro de Holanda e Lara Bernardo; também seguem na grade da emissora os programas, “Viva a Vida” da pastoral da Saúde Nacional e “Cenáculo de Oração” com a apresentação de Luís Marcelo. O Setor de Comunicação, responsável pela programação da emissora, informa que em breve o WhatsApp estará disponível para sugestões e participação do ouvinte. Por João Dias Arte: Thiago Maia

O post Anunciadora reformula programação e apresenta pílulas oracionais apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Bispo Auxiliar de Niterói fala sobre a “Igreja em Saída”

O Bispo Auxiliar de Niterói, Dom Luiz Ricci, ministra uma palestra no dia 22 de outubro, a partir das 19h30, na Paróquia Nossa Senhora das Dores, na Rua Presidente Pedreira, 185, Ingá, Niterói. Com o tema: “Igreja em Saída: A Missão dos Cristãos na Sociedade”, o Bispo Auxiliar, que é Pós-Doutor em Ética, irá refletir sobre como a corrida desenfreada pela sobrevivência está transformando os seres humanos, os filhos de Deus, em seres insensíveis ao outro. Informações podem ser obtidas pelo telefone: (21) 2621-3841. Por João Dias Arte: Divulgação

O post Bispo Auxiliar de Niterói fala sobre a “Igreja em Saída” apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Sínodo: O Evangelho é um anúncio de vida nova para todos

Direito dos indígenas, evangelização e inculturação estiveram esta quinta-feira (17/10) no centro, na Sala de Imprensa da Santa Sé, da coletiva sobre o Sínodo. Entre os participantes na coletiva, três testemunhos provenientes do Brasil: do arcebispo de Porto Velho – RO, dom Roque Paloschi; do salesiano Pe. Justino Sarmento Rezende; e do Procurador da República, Dr. Felício de Araújo Pontes. As vozes dos representantes da Amazônia foram protagonistas esta quinta-feira (17/10), na Sala de Imprensa da Santa Sé, da coletiva sobre o Sínodo, onde continuam os círculos menores e estão sendo elaboradas as relações, explicou o prefeito do Dicastério vaticano para a Comunicação, Paolo Ruffini. Leah Rose Casimero, da Guiana, pertencente ao povo Wapichan, contou sua experiência de coordenadora do programa do curso bilíngue para crianças Wapichan, povo indígena local. Trata-se de um programa que prevê uma formação nas duas línguas: a da população indígena e o inglês. “Temos nossos materiais para as crianças”, contou, e “incorporamos nossos conhecimentos e nossa vida tradicional”. Portanto, uma experiência de vanguarda para ajudar o povo Wapichan com um programa nascido de um diálogo com os Jesuítas, com as outras Igrejas, com outros consultores e que tem o apoio das autoridades. Provém dos povos indígenas também Patrícia Gualinga, líder na defesa dos direitos humanos das comunidades Kichwa de Sarayaku, no Equador. Ela fez um premente apelo em defesa da Amazônia, gravemente ameaçada com consequências para toda a humanidade, ressaltou. Fez um apelo também por uma aliança dos indígenas com a Igreja, indígenas que são perseguidos e até mesmo assassinados. O Procurador da República e especialista em direitos dos povos indígenas, o brasileiro Felício de Araújo Pontes Junior, focou a atenção na coletiva sobre a defesa dos direitos das populações da Amazônia e também dos descendentes dos afro-americanos. Muitas vezes esses povos entram em conflito com o modelo de desenvolvimento imperante, explicou ele chamando a atenção também para o aumento da atividade pecuária e de monoculturas, evidenciando que o homem não tem o direito de eliminar os ecossistemas em nome do progresso. Foi também muito forte a experiência do salesiano, Pe. Justino Sarmento Rezende, brasileiro, originário do povo tuyuca, especialista em espiritualidade indígena e pastoral inculturada. Sua vocação nasceu graças aos missionários que ensinavam catecismo a seus avós. Nasceu também do desejo de poder transmitir a fé em sua língua materna, a partir do momento em que a Igreja entendeu que os indígenas evangelizados poderiam, por sua vez, tornar-se evangelizadores. Sacerdote há 25 anos, em sua fala ele ressaltou a gratidão aos missionários por ter levado o Evangelho junto com o desejo que se conheçam as culturas indígenas. Trata-se de levar adiante, com paciência, o diálogo conhecendo a vida daqueles povos. Também o arcebispo de Porto Velho – RO, dom Roque Paloschi, evidenciou os direitos das populações indígenas que sofreram discriminações, referindo-se também ao problema das terras tradicionais. “A Constituição de 1988 previa que até 1993 todas as terras dos povos originários deveriam ser demarcadas, homologadas e registradas. Ao invés, não foram demarcadas nem mesmo um terço e as que foram demarcadas foram invadidas, alvo dos garimpeiros, das indústrias minerárias, das indústrias do petróleo e da exploração da madeira.” Em sua fala ressaltou, em particular, que “não se faz a inculturação com proselitismo, mas com o testemunho”. Não se trata de impor uma cultura do alto, de eliminar a cultura dos outros, prosseguiu dom Roque Paloschi, mas de preservar as sementes presentes em toda cultura porque “nenhuma cultura é perfeita” e o anúncio do Evangelho é, de fato, um anúncio de vida nova e todos precisamos tornar-nos uma pessoa nova no encontro com Cristo. Por Adriana Masoti / Raimundo de Lima – Vatican News Arte: Thiago Maia

O post Sínodo: O Evangelho é um anúncio de vida nova para todos apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Paróquia em Itaboraí recebe 3º Encontro de Preservação do Patrimônio

A Igreja Matriz de São João Batista, na cidade de Itaboraí, Vicariato Rural, região metropolitana do Rio, vai sediar o 3º Encontro de Preservação do Patrimônio Cultural do Leste Fluminense. O evento será realizado entre os dias 11 e 13 de novembro e tem o objetivo de debater assuntos relacionados à preservação do patrimônio histórico, artístico e cultural. Segundo a organização, durante o evento serão debatidos assuntos da educação patrimonial, arqueologia, museologia, entre outros, relacionados à preservação de patrimônio cultural. As palestras serão ministradas por técnicos de Prefeituras e do IPHAN, do IHGI, do INEPAC, da UERJ, conservadores de patrimônio, museólogos, entre outros. Haverá também um city tour no Centro Histórico de Itaboraí. O evento será realizado na Paróquia de São João Batista, localizada na Praça Marechal Floriano Peixoto, nº 15, no Centro de Itaboraí. A inscrição custa R$ 20. Parte da arrecadação será destinada às obras de conservação e restauração da Igreja Matriz de São João de Itaboraí. Inscrições pelo email: ihgi.itaborahy@gmail.com (necessário informar nome completo e cidade de origem). A organização lembra que as vagas são limitadas. A organização informou ainda, que o almoço, no Restaurante Beco da Praça, terá uma tarifa promocional para o evento, e as pessoas que desejarem se hospedar, o Hotel Promenade Itaboraí, também terá tarifa promocional para o evento. As reservas podem ser feitas pelo telefone (21) 3785-6800 ou através do site: https://myreservations.omnibees.com/default.aspx?q=4684&lang=pt-BR. Por João Dias com informações Deivid Antunes Arte: Divulgação

O post Paróquia em Itaboraí recebe 3º Encontro de Preservação do Patrimônio apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Arquidiocese de Niterói ganhará nova capela

A partir do próximo dia 15 de novembro, cerca de 70 jovens do programa Superação, da ONG Sonhar Acordado, passarão o feriadão dedicados à construção de uma capela no bairro Nova São Vicente, em Araruama, que será dedicada  à Santa Bárbara e São Jorge. Serão três dias de intenso trabalho, com jovens voluntários de diversas partes do Rio de Janeiro, para levantar esta que será a terceira capela construída pelo programa, no território da Arquidiocese de Niterói. Em março de 2017, foi inaugurada a Capela Nossa Senhora de Guadalupe, em Ipiíba, pertencente à Paróquia Nossa Senhora da Conceição e Santa Isabel e, em novembro do mesmo ano, foi entregue a Capela São Padre Pio, em Rio Bonito. Neste projeto, a maioria dos jovens não possuem experiência alguma na área de construção ou reformas, como conta a coordenadora geral do Superação, Rafaela Enes: “Nunca ter mexido com obra não é um empecilho para fazer parte desse projeto. Na ação, todo mundo aprende junto e, independente da sua profissão ou trabalho, você pode se doar para algo muito maior.” Juntamente com a obra, a Juventude e a Família Missionária realizarão missões nas áreas próximas à construção da capela, para também evangelizar os moradores da comunidade. A Paróquia de São Vicente organizará uma equipe de missionários para trabalhar em unidade com os jovens. A inauguração da capela está prevista para o domingo, 17 de novembro, às 17h30, e será aberta a toda a população. Por Ana Claudia Foto: Superação

O post Arquidiocese de Niterói ganhará nova capela apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Sínodo: Má distribuição dos presbíteros na América Latina

O Sínodo dos Bispos para a Amazônia, que chegou à metade de seu caminho, fez terça-feira um “salto qualitativo”. O secretário da Comissão para a Informação, Pe. Giacomo Costa, disse aos presentes na coletiva diária na Sala de Imprensa da Santa Sé, nesta quarta-feira (16/10), que graças às intervenções livres de alguns padres sinodais, “que pediram para não fragmentar o caminho da Assembleia na busca de pequenas soluções para os temas individualmente considerados”, mas, preferivelmente, “retomar um impulso profético, deixando espaço ao Espírito Santo, para não perder a visão de conjunto”, esclareceu o prefeito do Dicastério para a Comunicação, Paolo Rufini. Uma nova dinâmica, mais espiritual, que já deu seus efeitos, “deixando a palavra livre” nos trabalhos dos doze círculos menores, que se reunirão até a tarde desta quinta-feira. No final do dia, os relatores apresentarão as 12 relações, que serão publicadas na tarde de sexta-feira, 18 de outubro. A última semana de trabalhos, como previsto, será dedicada a discutir o projeto do documento final, que será votado na Sala do Sínodo, na tarde de sábado, dia 26. Dom Wellington Vieira Nessa dinâmica se insere o Bispo da Diocese de Cristalândia – TO, Dom Wellington Tadeu de Queiroz Vieira, que ressaltou que o problema da falta de sacerdotes é concreto, não somente para a Amazônia, “mas também para a Europa, que verifica uma redução do número de ministros ordenados”. Não existem obstáculos, na Bíblia e na teologia, para a ordenação de “viri probati”, homens adultos casados, esclareceu Dom Wellington, mas, “e muitos na Sala do Sínodo pensam como eu”, disse o Bispo, “não vejo no celibato o obstáculo principal para ter mais sacerdotes. O verdadeiro problema é a incoerência, a infidelidade, e os escândalos causados por ministros ordenados”. “Devemos fazer de modo que no coração das pessoas, sobretudo no dos jovens, se desenvolva uma terra fértil. Se também nós, presbíteros, e nós, bispos, temos ‘o cheiro das ovelhas’, como nos pede o Papa Francisco, não transmitimos o perfume de Cristo. Porque somos anunciadores somente de nós mesmos, que desse modo, distanciamos as pessoas de Jesus”, acrescentou o Bispo de Cristalândia. Má distribuição dos presbíteros na América Latina O primeiro caminho a ser feito é a conversão dos ministros ordenados, porque, disse ainda Dom Wellington Vieira, “o principal instrumento para despertar a vocação nos jovens é a santidade dos atuais evangelizadores: a santidade da simplicidade de vida, da abertura ao diálogo, do anúncio da verdade cristã, da compaixão com quem sofre”. Um segundo problema é também a má distribuição dos presbíteros no território. “Na América Latina, há áreas com uma boa presença de sacerdotes, mas com escasso espírito missionário. Muitos deles poderiam ir a regiões de fronteira, como a Amazônia”, disse ainda. Dom Pedro: são os leigos que levam adiante as comunidades Em seguida, tomou a palavra o Bispo de Macapá – AP, Dom Pedro José Conti, uma diocese de 148.000km quadrados, ocupando, praticamente, todo o estado do Amapá, na foz do Rio Amazonas. Ele disse ter pedido ao Sínodo que valorize o papel do laicato. “Em minha diocese, que é como em todo o norte da Itália – explicou Dom Pedro Conti –, em algumas paróquias temos 100 comunidades e apenas 1 sacerdote. Quem leva adiante o trabalho são os leigos e as leigas. Os sacerdotes devem prepará-los, acompanhá-los e guiá-los, mas são eles que constroem a Igreja.” “Nós, clérigos, sacerdotes e bispos, pensamos saber tudo, mas não é verdade, precisamos das competências dos leigos e das leigas, e isso é também um antídoto ao clericalismo”, enfatizou. É fundamental também, acrescentou, o serviço de leigos e leigas engajados na política, que sejam formados para dar concretude à doutrina social da Igreja. A Floresta Amazônica será salva por pequenos produtores Para Dom Pedro Conti, os pequenos produtores leigos salvarão a Amazônia. O modelo a ser seguido é o das pequenas cooperativas agrícolas, “que convivem com a Floresta, a ‘Floresta em pé’, e que dela extraem os recursos de modo sustentável, para comercializar produtos naturais, desfrutando da sua grande riqueza, com a sabedoria ancestral transmitida pelos povos indígenas”. “Fiquei emocionado ao ouvir o testemunho deles. Eu vivo a 600Km das aldeias indígenas, numa cidade com meio milhão de habitantes, e me encontro às pressas, todos os dias, com os problemas urbanos, e sinto a urgência de uma conversão ecológica”, acrescentou. Via Vatican News

O post Sínodo: Má distribuição dos presbíteros na América Latina apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

SECOM e Setor Juventude divulgam programação do DNJ 2019

Como em anos anteriores, o SECOM estará o dia todo com uma cobertura especial do maior encontro jovem da Arquidiocese de Niterói. E para comandar esse momento especial, Íngrid Bianchini e Larissa Rodrigues, estarão a partir das 9h, falando do encontro e todos poderão acompanhar o evento pelas Rede Sociais da Arquidiocese, pela página do Facebook do Setor Juventude e pela Rádio Anunciadora. Confira a programação especial: 09:00 – Louvor Guerreiros da Fé 09:30 – Especial DNJ 10:00 – Intervalo de programação 11:00 – Adoração 11:40 – Especial DNJ 12:00 – Intervalo de programação 12:50 – Pregação tema principal 13:40 – Especial DNJ 14:00 – Intervalo de programação 14:50 – Especial DNJ 15:00 – Missa 16:20 – Intervalo de programação 16:50 – Especial DNJ 17:00 – Show 19:00 – Encerramento Uma novidade já apresentada aqui, é que neste ano, ao vivo, a partir das 9h, acessando: arqnit.org.br ou radioanunciadora.org.br. Para acompanhar as imagens, acesse o site da Arquidiocese: arqnit.org.br ou veja através das Lives do Facebook:  fb.com/arqnit, fb.com/radioanunciadora ou fb.com/juventudeniteroi. No dia 7 de outubro, foi lançada a arte oficial do Dia Nacional da Juventude 2019 (DNJ 2019), que será no dia 27 de outubro, a partir das 9h, na FAETC, em Bacaxá. A coordenadora do setor juventude falou com a redação do SECOM sobre a alegria dessa parceria, “neste ano, o Setor Juventude e a Comunicação da Arquidiocese estão preparando uma cobertura jornalística bem jovem e bem dinâmica, para aqueles que não puderem estar presentes no DNJ, acompanharem de casa esse momento incrível de união e celebração da juventude da nossa Arquidiocese. Então, fica o convite a todos, para estarem presentes, mas também para os que não puderem estar juntos em unidade, acompanhando tudo aquilo que o DNJ oferecerá, através das Redes Sociais, e que a tecnologia nos permite  acompanhar esse momento maravilhoso”, destacou a coordenadora. O Padre Marcos Vinícius, assessor do Setor Juventude, lembrou que a “Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) determinou que o DNJ fosse sempre realizado em um domingo do mês de outubro. O DNJ reúne uma grande concentração de jovens de todas as paróquias de nossa Arquidiocese de Niterói. Cada ano, pensamos em um local diferente para acolher este evento.” Assim explica o assessor a escolha de locais diferentes para o maior evento jovem da Arquidiocese. Para o Padre Marcos Vinícius, “o evento tem como objetivo mostrar ao jovem a unidade e a comunhão da Igreja. Além disso, desejamos proporcionar aos jovens uma oportunidade de celebrar o que têm em comum. É um dia de oração, espiritualidade, entretenimento e alegria para os jovens da Arquidiocese de Niterói.”, enfatizou o padre, que destacou como será o “dia do evento: palestras, workshops, oficinas, feira vocacional, pregações, adoração, missa, confissões e o show com a Banda Shalom. Todos os jovens estão convidados. ‘Vós sois o agora de Deus’ (Papa Francisco)”, finalizou o sacerdote. “Largai isso e vinde conosco atrás do Amor” é o tema do Dia Nacional da Juventude (DNJ) 2019, que no ano passado, reuniu mais de sete mil jovens. Neste ano, acontecerá na FAETC que fica na Rua Capitão Nunes, Bacaxá, Saquarema. Fique ligado no Portal da Arquidiocese, e em breve, você terá a programação das LIVES e da Rádio Anunciadora, para o maior evento jovem da Arquidiocese de Niterói. Origem do DNJ Com o Ano Internacional da Juventude, decretado em 1985, pela ONU, a Pastoral da Juventude no Brasil assumiu o DNJ como gesto concreto, e realizou o primeiro evento em 1986. Atualmente, este dia é celebrado no último domingo de outubro, sendo que as comemorações podem ser realizadas em outras datas. O DNJ é um evento realizado anualmente, e é um dia marcado por mobilizações de milhares de jovens em todo o país, celebrando, como Igreja, a vida da juventude. Por João Dias Arte: Setor Juventude

O post SECOM e Setor Juventude divulgam programação do DNJ 2019 apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Católico