Niterói

Notícias Arquidiocesanas

“Vocês estão reconhecendo e falando de Jesus na sua vida”, diz Dom José

No sábado, dia 26 de agosto, na Capela São João Paulo II, onde será erigida a Nova Catedral São João Batista, foi celebrada a Santa Missa em ação de graças pelos trabalhos da Pastoral de Rua da Arquidiocese de Niterói. A Santa Celebração teve a presidência do Arcebispo de Niterói, Dom José Francisco, e foi concelebrada pelo Bispo Auxiliar, Dom Luiz Ricci. Serviram o altar os diáconos permanentes Reginel e Mussoline. Segundo a CNBB, a Pastoral do Povo de Rua tem como missão ser presença junto ao povo da rua, perceber os sinais de Deus presentes na sua história, e desenvolver ações que transformem a situação de exclusão em projetos de Vida, para todos. A Pastoral estimula e promove ações junto à população de rua e catadores de materiais recicláveis, para que construam alternativas em defesa da Vida e contribuam para a elaboração de políticas públicas, além de capacitar e formar agentes para aprofundar a mística e a metodologia de ação pastoral. Na homilia, Dom José Francisco disse: “… Nós somos chamados a agradecer a Deus pelo Dom da Fé, e nem sempre somos conscientes desse Dom.” E citou a escritora Rachel de Queiroz : “… Eu até gostaria de ter Fé, mas não tenho Fé” , prosseguiu o Arcebispo dizendo: “… se nós estamos aqui é porque temos Fé.” Dom José falou ainda sobre a importância do trabalho da Pastoral de Rua: “…que a nossa vida possa estar falando que Ele é o Filho de Deus vivo, porque nós O reconhecemos na pessoa dos irmãos, e vocês, com o trabalho com aqueles que moram na rua, estão reconhecendo Jesus, o Filho de Deus vivo, o Messias, na pessoa daquele que não tem abrigo, não tem um teto, na pessoa do que sofre, vocês estão reconhecendo e falando de Jesus, na sua vida através do encontro com estas pessoas…” No final da celebração, Lara Cristina, membro da Pastoral de Rua, leu um discurso: “Disse Jesus a Pedro, “tudo que ligares ou desligares na Terra será feito igualmente no Céu” (Mt 18,18). Sabemos que o mesmo vale para sucessor dos apóstolos e cada sacerdote das igrejas particulares. Podemos dizer que neste dia, céu e terra são ligados pelo amor, que a partir dos bispos, emana a toda a Igreja. Hoje o céu se abre (e sabemos que, verdadeiramente, se abre em cada missa) e recebe em seu seio cada um de nós, pobres pecadores, que cumprimos aquilo que o mestre nos ensina “amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado” (Jo 15,12). Aos irmãos, que acompanhamos há anos e que hoje se encontram aqui, queremos dizer, que nada nos alegra mais e ao bom Deus, do que a partilha desta ceia. De nada valeria nosso esforço cotidiano, se não nos encontrássemos aqui, sob este altar, em comunhão verdadeira. Alguns nos perguntam, por vezes, o que faz com que saiamos de nossas casas e vos encontremos. Estes mesmos já devem ter ouvido como resposta, “o Amor”. Sim, o Amor! E eis onde se encontra nosso amor, na Eucaristia, na Santa Missa. Neste lugar, onde o sol se põe lenta e belamente, sobre a antigamente conhecida como “Rio mui largo de Guanabara”, será construída a nova casa de Deus, de nossa Igreja. Já faz tempo, desde que a pedra fundamental foi colocada. E enquanto ela está sendo construída, mostro aos senhores bispos a base, o povo, as ovelhas. Esta comunidade itinerante é também vosso povo, o motivo pelo qual uma catedral é construída. Então vos apresento, ouso fazê-lo, bispos, eis aí vossas ovelhas, ovelhas, eis ai vossos pastores! Sem muito me alongar, gostaria de agradecer ao Arcebispo e a Dom Ricci, por este momento, que em mais do que em qualquer outro, podemos dar aos nossos irmãos a única coisa que verdadeiramente temos, o próprio Cristo. Neste momento, em que a Igreja se faz presente junto aos que sofrem, nos alimentamos, para sermos rosto de Cristo, nos momentos em que vivenciarmos injustiças, mortes, perdas. Muito obrigada, Dom José e Dom Luiz, por nos darem nesta tarde a verdadeira comida e a verdadeira bebida. Que com vossas bênçãos, liguem-se, entre o céu e terra os nossos corações”, concluiu Lara Cristina Veiga Bernardo. Após a Santa Celebração, foi feita uma foto oficial. Por João Dias (com informações da Pastoral e da CNBB) Fotos: Pastoral de Rua     Leia Mais »

Arquidiocese se prepara para peregrinação à Aparecida

O Santuário Nacional de Aparecida acolherá no sábado, 9 de setembro, a tradicional Romaria da Arquidiocese de Niterói, peregrinação que acontece anualmente, desde 1999. Além de participarem da Santa Missa, presidida pelo Arcebispo de Niterói, os romeiros também rezarão o terço de Nossa Senhora. Dom José Francisco presidirá a missa, concelebrada pelos padres da Arquidiocese de Niterói, que estarão em Aparecida. A Romaria reunirá milhares de fiéis da Arquidiocese. Veja o Cronograma Oficial da Peregrinação: Dia 8 de setembro Saída das caravanas Dia 9 de setembro 6h30 – Santa Missa – Presidida por Dom José Francisco Após a Missa – Santo Rosário Por João Dias Arte: Thiago Maia Leia Mais »

Paróquias recebem curso de Paternidade Responsável

O Núcleo de Planejamento Natural da Família da Arquidiocese de Niterói (NUPLAFAM Niterói) realiza, no dia 27 de agosto, na paróquia Nossa Senhora da Lapa, em Silva Jardim, o Curso de Paternidade Responsável também voltado para os profissionais de Saúde. As inscrições podem ser feitas pelo telefone (22) 2668-1324. O Curso traz orientações a jovens, noivos e casais que desejam conhecer sua fertilidade, espaçar as gestações e conseguir uma gravidez, segundo a vontade de Deus e as orientações da Igreja, através do Método de Ovulação Billings. No dia 10 de setembro é a vez do Vicariato São Gonçalo. A Matriz São Gonçalo de Amarante recebe o curso a partir das 8h. Os interessados devem fazer a inscrição nas secretarias das paróquias do Vicariato. A taxa é de 10 reais, referente ao almoço. Conheça o NUPLAFAM Niterói O Núcleo de Planejamento Natural da Família da Arquidiocese de Niterói (NUPLAFAM Niterói) tem por objetivo ensinar o autêntico Método de Ovulação Billings (MOB) a jovens e casais, em qualquer fase de sua vida reprodutiva, a fim de que possam reconhecer sua fertilidade, planejar uma gravidez e também espaçar as gestações, com base no exercício da paternidade responsável e na conscientização dos valores morais da família. O NUPLAFAM Niterói é vinculado à Confederação Nacional de Planejamento Natural da Família (CENPLAFAM WOOMB Brasil), uma associação civil sem fins lucrativos, com sede em São Paulo-SP, representante oficial da Organização Mundial do Método de Ovulação Billings (WOOMB), na Austrália. Quem são os membros do NUPLAFAM Niterói? Instrutores formados, certificados e credenciados pelo CENPLAFAM WOOMB Brasil. Onde se encontram os instrutores? Os  Instrutores são distribuídos por toda a Arquidiocese, em células de cada Vicariato. Quais são suas atividades? Atuam difundindo o ensino do MOB, por meio de palestras em cursos de noivos, cursos de Paternidade Responsável e acompanhamentos individuais, nas células de atendimento. Nas palestras de cursos de noivos, o método é apresentado aos casais, para que tenham um primeiro contato com o MOB, e os que se interessam são orientados a buscar um instrutor credenciado, para realização de acompanhamento, até que o casal alcance a autonomia e viva o método com segurança. No Curso de Paternidade Responsável, o MOB é ensinado aos futuros usuários e exercitado por meio de atividades práticas. Mesmo após a conclusão do curso, os casais são orientados a buscar um instrutor para auxiliá-los na vivência do método. Os acompanhamentos individuais são realizados nas células de atendimento, por meio de encontros quinzenais, nos quais o sigilo é preservado. Nos encontros, o(a) instrutor(a) ensina o método e acompanha a evolução do aprendizado, até que o casal se sinta seguro para seguir como usuário autônomo. Como localizar um instrutor? Por meio do e-mail: nuplafamniteroi@gmail.com Perfil do Facebook: Nuplafam Nit Por meio de seu Pároco. Leia Mais »

Paróquia São João Batista em São Pedro da Aldeia completa 10 anos

No dia 29 de agosto, a Paróquia São João Batista, em São Pedro da Aldeia, terá uma comemoração especial pelos seus 10 anos. A programação terá início às 10h, com a visita do Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Niterói, Dom Luiz Ricci. O evento continua com o Terço da Misericórdia, às 15h, com a presença do Arcebispo Emérito de Niterói, Dom Alano Maria Pena, e transmissão da Rádio Catedral FM e Rede ArqNit (Rádio Anunciadora, Senhora do Amparo e Web Amparo). Confira a programação: 10h – Visita do Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Niterói, Dom Luiz Antônio 15h – Terço da Misericórdia 19h30 – Santa Missa sob a presidência do Padre Elmir da Silva Mendes. A igreja Matriz de São João Batista fica na Rua Marechal Castelo Branco, s/nº, Bairro São João, São Pedro da Aldeia. Telefone: (22) 2625-0532. Por João Dias com informações da Paróquia São João Foto: Arquivo Leia Mais »

Dom Luiz Ricci visitará os padres da Arquidiocese

Durante coletiva de imprensa, no dia 16 de julho, Dom José Francisco, Arcebispo de Niterói, definiu os trabalhos iniciais de Dom Luiz Ricci, Bispo Auxiliar de Niterói. A partir de hoje, 25 de agosto, o Bispo, irá percorrer os 6 vicariatos. Segundo Dom José Francisco, a proposta é que ele visite os padres em suas casas paroquiais. São cerca de 160 padres, e na visita, Dom Luiz Ricci irá conhecer onde os padres moram, a comunidade e o povo. As visitas têm início no Vicariato Oceânico e terminam no Vicariato Niterói. Por João Dias Foto: Arquivo Leia Mais »

CNBB estimula Jornada de Oração e Jejum pelo Brasil

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convida a todos para uma Jornada de Oração pelo Brasil, a ser realizada nas comunidades, paróquias, dioceses e regionais do país, de 1º a 7 de setembro próximo. Os bispos decidiram mobilizar os cristãos, por meio da oração, após a análise da realidade brasileira feita na última reunião do Conselho Episcopal Pastoral da entidade, dias 10 e 11 de agosto. O Dia de Oração e Jejum sugerido é o dia 7 de setembro, data que marca a Independência do Brasil. Além da carta, enviada a todos os bispos brasileiros, foi enviada também uma oração (confira abaixo), a mesma enviada por ocasião da celebração de Corpus Christi, com uma pequena adaptação na última prece. Segundo o bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, a Jornada de Oração é uma oportunidade para que os cristãos e pessoas de boa vontade que querem um Brasil melhor, mais fraterno e não dividido se unam. “Nós estamos necessitados de um novo Brasil, mais ético; de uma política mais transparente. Nós não podemos chegar a um impasse de acharmos que a política pode ser dispensada. A política é muito importante, mas do modo do comportamento de muitos políticos, ela está sendo muito rejeitada dentro do Brasil. Nós esperamos que esse dia de jejum e oração ajude a refletir essa questão em maior profundidade.” Um dos trechos da oração, encaminhada a todos os bispos do país pelo Consep, pede: “Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos”. Veja a íntegra da oração: JORNADA DE ORAÇÃO PELO BRASIL Semana da Pátria 1º a 07 de setembro de 2017 07 de setembro – dia da Pátria: Vida em primeiro lugar “A paz é o nome de Deus” (Papa Francisco) Diante do grave momento vivido por nosso país, dirijamos nossa oração a Deus, pedindo a bênção da paz para o Brasil. Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil! Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Para construirmos a justiça e a paz, em nosso país, necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar. Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil! Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Nós cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana. Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil! Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos. Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil! Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos agentes da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia. Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil! Vosso filho Jesus está no meio de nós, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas. Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil! Neste ano em que celebramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, queremos seguir o exemplo de Maria, permanecendo unidos a Jesus Cristo, que convosco vive, na unidade do Espírito Santo. Amém! (Pai nosso! Ave, Maria! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!) Veja a íntegra da carta: Brasília-DF, 10 de agosto de 2017 SG – Nº. 0500/17 Prezado irmão no episcopado, Unidos para servir! Vivemos um momento difícil e de apreensão no Brasil. A realidade econômica, política, ética vem acompanhada de violência e desesperança. O Conselho Permanente, ao refletir o momento vivido, pediu que a Presidência enviasse carta ao irmão, sugerindo um Dia de jejum e oração pelo Brasil. Pediu igualmente que fosse enviada uma oração que pudesse ser rezada nas comunidades e famílias. O dia de oração e jejum sugerido é o dia 7 de setembro próximo. A oração que enviamos também em anexo é a mesma que rezamos no dia de Corpus Christi. Houve uma adaptação na última prece. Convidamos o irmão a incentivar a participação das comunidades e famílias no Dia de Jejum e oração pelo Brasil. Em Cristo, unidos para servir, Cardeal Sergio da Rocha                                     Dom Murilo S. R. Krieger Arcebispo de Brasília – DF                                          Arcebispo de São Salvador Presidente da CNBB                                                 Vice-presidente da CNBB Dom Leonardo Ulrich Steiner      Bispo Auxiliar de Brasília – DF Secretário-Geral da CNBB Leia Mais »

Casa de Estudos do Sumaré recebe retiro do clero 2017

O retiro do clero arquidiocesano aconteceu na Casa de Estudos do Sumaré – RJ. Durante 4 dias, 94 padres, o Arcebispo Dom José Francisco, o Arcebispo Emérito Dom Alano e o Bispo Auxiliar Dom Luiz Ricci participaram de palestras, orações, Missas, confissões e liturgias. Em 2017, foi responsável pela direção espiritual, Dom Aloísio Jorge Pena Vitral, da Diocese de Teófilo Otoni – MG. Dom Vitral encorajou os sacerdotes a buscar o que, com o desgaste, foi sendo perdido, a renovarem sua fé e, com a força de Cristo, perseverarem. “Fazer perdurar o fogo aceso durante o retiro. Não permitir que a alegria cesse, fazer uma opção por ser sempre Alegre, pois Cristo já nos deu a ressurreição”. Na ocasião, os padres presentes, puderam renovar suas promessas sacerdotais e também os diáconos transitórios, Leonardo e Marcos e Bruno, fizeram, em virtude de sua ordenação sacerdotal, a profissão de fé. Texto e fotos: Padre Ricardo Mota Leia Mais »

3ª Caminhada das Famílias reflete a família e seu papel na sociedade

A Família na Doutrina Social da Igreja é compreendida como o princípio da sociedade, como primeira sociedade natural, fundada com o matrimônio  (vínculo entre um homem e uma mulher que se perpetuará até a morte separá-los); a família é o santuário da vida, a quem é atribuída uma tarefa educativa, que é direito dos filhos; é protagonista da vida social e deve ter a sociedade a seu serviço. Lemos no Catecismo da Igreja Católica: A família no plano de Deus –  NATUREZA DA FAMÍLIA A comunidade conjugal está fundada no consentimento dos esposos. O casamento e a família estão ordenados para o bem dos esposos, para a procriação e a educação dos filhos. O amor dos esposos e a geração dos filhos instituem, entre os membros de uma mesma família, relações pessoais e responsabilidades primordiais. Um homem e uma mulher, unidos em casamento, formam com seus filhos uma família. Esta disposição precede todo reconhecimento por parte da autoridade pública; impõe-se a ela (isto é, não depende da autoridade civil para se constituir), e deve ser considerada como a referência normal, em função da qual devem ser avaliadas as diversas formas de parentesco. Ao criar o homem e a mulher, Deus instituiu a família humana e dotou-a de sua constituição fundamental. Seus membros são pessoas iguais em dignidade. Para o bem comum de seus membros e da sociedade, a família implica uma diversidade de responsabilidades, de direitos e de deveres. Pela união dos esposos realiza-se o duplo fim do matrimônio: o bem dos cônjuges e a transmissão da vida. Esses dois significados ou valores do casamento não podem ser separados sem alterar a vida espiritual do casal e sem comprometer os bens matrimoniais e o futuro da família. Assim, o amor conjugal entre o homem e a mulher atende à dupla exigência, a da fidelidade e a da fecundidade. A família deve ser ajudada e defendida pelas medidas sociais apropriadas. Quando as famílias não são capazes de desempenhar suas funções, outros organismos sociais têm o dever de ajudá-las e de apoiar a instituição familiar. De acordo com o princípio da subsidiariedade, as comunidades mais amplas cuidarão de não usurpar seus poderes ou de interferir na vida da família. A importância da família para a vida e o bem-estar da sociedade acarreta uma responsabilidade particular desta última, no apoio e no fortalecimento do casamento e da família. Que o poder civil considere como dever grave “reconhecer e proteger a verdadeira natureza do casamento e da família, defender a moralidade pública e favorecer a prosperidade dos lares”. A comunidade política tem o dever de honrar a família, de assisti-la e de lhe garantir, sobretudo: * o direito de se constituir, de ter filhos e de educá-los de acordo com suas próprias convicções morais e religiosas; * a proteção da estabilidade do vínculo conjugal e da instituição familiar; * a liberdade de professar a própria fé, de transmiti-la, de educar nela os filhos, com os meios e as Instituições necessárias; * o direito à propriedade privada, à liberdade de empreendimento, ao trabalho, à moradia, à emigração; * de acordo com as instituições dos países, o direito à assistência médica, à assistência aos idosos, aos abonos familiares; * a proteção da segurança e da saúde, sobretudo em relação aos perigos, como drogas, pornografia, alcoolismo etc.; * a liberdade de formar associações com outras famílias e, assim, serem representadas junto às autoridades civis. Em Defesa da Família, pela terceira vez o Vicariato São Gonçalo realizou no domingo, dia 20 de agosto, quando comemoramos a solenidade da Assunção de Nossa Senhora e o encerramento da Semana Nacional da Família. Milhares de fiéis participaram da 3ª Caminhada das Famílias, que saiu da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no Galo Branco, em direção ao Rincão do Senhor. O tema escolhido foi “Família, uma luz para a vida em sociedade”. Dom Luiz Ricci, Bispo Auxiliar de Niterói, falou um pouco antes da caminhada sair: “…vamos deixar esse testemunho que acreditamos na família. (…) nós todos caminhamos para a casa do Pai, e a caminhada, romaria, nos faz lembrar isso. Hoje é domingo, dia de festa, dia da Assunção de Nossa Senhora, e recordamos sempre, no domingo, a Páscoa de Cristo. Vamos caminhar, sabendo que um dia também faremos nossa páscoa na Páscoa de Jesus.” Na chegada da Caminhada, Dom José Francisco, Arcebispo de Niterói, presidiu a Santa Missa, concelebrada por padres dos Vicariatos São Gonçalo. Em sua homilia, Dom José Francisco, destacou a importância da família na sociedade. É dever do cristão defender a família. No final da celebração Dom José Francisco abençoou os fiéis presentes. Por João Dias com informações do Catecismos da Igreja Católica Fotos: Padre Ricardo Mota   Leia Mais »

Católico