Niterói

Cardeal Parolin: encontrar os migrantes e não ter medo deles

O Secretário de Estado vaticano, Cardeal Pietro Parolin, abriu na manhã de ontem (06/03), no Vaticano, o encontro da Comissão Internacional Católica para Migração (ICMC). O organismo reúne representantes das Conferências episcopais e das agências católicas que se ocupam de migrantes e refugiados e está presente em 50 países no mundo inteiro.

A Comissão

A ICMC foi criada após a II Guerra Mundial, quando houve um maciço movimento de refugiados no mundo e o Papa Pio XII a instituiu como representante católico de informação e coordenação. O objetivo era promover a aplicação dos princípios cristãos e políticas de proteção da família no campo das migrações.

Desde então, a ICMC tem tecido relações e colaborado com agências governamentais e não-governamentais em muitos países e promovido o diálogo entre atores de diferentes denominações cristãs. Além de parcerias com importantes instituições internacionais, a Comissão trabalha em contato direto, há pouco mais de um ano, com a Seção Migrantes e Refugiados do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral.

Pessoas e não números

Em seu discurso aos participantes do encontro, o Cardeal Parolin enalteceu a contribuição do ICMC na preparação dos Global Compacts (Pactos Globais) por uma migração segura, ordenada e regular e pelos refugiados.

“Esperamos que estes dois documentos possam responder às necessidades de maior proteção e tutela dos direitos humanos destas pessoas diante das reticências de vários países”, afirmou.

“Fala-se não de números mas de pessoas: homens, mulheres e crianças que têm um rosto, que muito sofrem e que são descartados”.

“Um rosto humano no qual vemos o rosto de Cristo, que queremos servir especialmente naqueles que são os menores e com mais necessidades ”

O Secretário de Estado ressaltou o apoio da ICMC em manter unidas as famílias, um aspecto que considera delicado e que requer maior atenção e acompanhamento. 

Outra ‘frente’ apresentada é a negação do acolhimento. “Embora muitas nações devam seu desenvolvimento aos migrantes e apesar de suas experiencias terríveis serem divulgadas, a migração é vista somente como emergência ou perigo, mesmo sendo um elemento comum em nossas sociedades”, destacou.

Difundir uma percepção equilibrada e positiva da migração

O Cardeal Parolin recordou as palavras do Papa em defesa da ‘cultura do encontro’, capaz de construir um mundo mais justo e fraterno e frisou que trabalhar por uma mudança de atitude neste sentido é um dos compromissos mais urgentes hoje.

E ainda mencionando palavras do Pontífice, o Cardeal encerrou:

“Levemos a todos, através do nosso amor concreto, o anúncio livre do amor de Deus que acolhe, protege, sabe valorizar e fazer sentir parte de Sua família”.

“ Deus, que sabe recompensar esforços e gestos de boa vontade, nos ajude a nos abrirmos sem medo e indecisões aos novos apelos do Espírito, pelo bem dos irmãos ”

No encontro atual, será escolhido o novo Presidente da ICMC. Os participantes serão recebidos pelo Papa Francisco dia 08/03.

Por Vatican News

Católico