Niterói

Catedral de Milão abre suas portas para que visitantes descubram os seus segredos

Itália - Milão (Sexta-feira, 12-01-2018, Gaudium Press) Com uma completa programação cultural, a Catedral de Milão abrirá suas portas para que peregrinos e visitantes descubram seus segredos. De 20 de janeiro até abril, em um sábado do mês, será possível visitar os lugares escondidos e geralmente não acessíveis ao público do conhecido templo milanês, um dos maiores do mundo.

Catedral de Milão abre suas portas para que visitantes descubram os seus segredos.jpg

As visitas incluirão vários passeios temáticos para aproximar-se das artes menos conhecidas e relativas a seis séculos de história da 'Duomo di Milano', assim como sua Fábrica. Se passará pela ourivesaria, a pintura e se encerrará com a escultura. É "uma viagem ininterrupta das tradições mais antigas aos séculos mais recentes", como destaca o portal da Diocese Ambrosiana ChiesadiMilano.it.

No total, serão quatro visitas que estarão disponíveis para o público em geral, começando no sábado, 20 de janeiro, e terminando no sábado, 21 de abril. "Quatro eventos especiais (...) para conhecer algumas das obras-primas localizadas no Museu e as áreas menos visíveis de todo o complexo monumental da Catedral (...) Cada visita proporciona o acesso à áreas que geralmente não estão abertas ao público, com foco em alguns dos elementos preciosos expostos no circuito do museu", ressalta o portal diocesano.

A primeira dessas visitas, a de janeiro, contará com uma duração de 60 minutos, com um tour dedicado a arte ourives presente no complexo do 'Duomo', a partir do Candelabro Trivulzio que custodia a Catedral, até o Tesouro do Museu. O Candelabro, uma preciosa obra medieval, está situado em frente ao altar da Virgem da Árvore, uma área que geralmente não é reservada aos fiéis. Foi feito em bronze e decorado com pedras preciosas. Foi doado ao templo da Catedral no ano de 1550 e é uma obra única. O passeio continua nas primeiras salas do museu que guardam outras belas obras de arte ourives, entre elas cálices e custódias que datam dos anos de 500 e 600, além de móveis medievais feitos em marfim.

A segunda visita, que acontecerá no sábado, 24 de fevereiro, se desenvolverá nos altares e na Catedral, bem como nas salas borromáicas do Museu, para apreciar as pinturas e obras de arte ali presentes. Destaca-se deste itinerário, a passagem pelo mármore rosado de Candoglia, as numerosas esculturas e os vitrais coloridos.

No sábado, 17 de março, será a vez da terceira visita que acontecerá na abside, na sacristia Aquilonare e na sala das origens do museu. Este itinerário é ideal para aqueles que querem conhecer as origens da 'Duomo di Milano', já que se seguirão os traços mais antigos com as primeiras decorações, um espaço que habitualmente não está aberto ao público. Também se passará pelas primeiras salas do museu dedicadas à escultura decorativa dos primeiros séculos da Catedral.

Na quarta e última visita, que ocorrerá no sábado 21 de abril, se passará através de dois terraços do templo e as primeiras salas do Museu, para conhecer de perto a escultura da modernidade, que data entre os séculos XIX e XX. O itinerário tem uma duração de 90 minutos, tempo no qual serão reveladas as mais recentes obras escultóricas e decorativas, destacando-se a renovação que teve nos últimos séculos a Fábrica da Catedral.

A 'Duomo di Milano' é um sinal distintivo da cidade italiana. Sua construção foi iniciada em 1386 por iniciativa do então Arcebispo, Dom Antonio Saluzzo, e foi concluída em 1965. (EPC)

Católico