Niterói

Papa incentiva a não temer a morte: “Jesus manterá a chama da nossa fé”

Durante sua catequese pronunciada na Audiência Geral desta quarta-feira, na Praça de São Pedro, o Papa Francisco incentivou a ter esperança diante da morte, a confiar em Jesus, porque Ele é “a ressurreição e a vida” e manterá viva a chama da fé nos últimos momentos de vida, “nos tomará pela mão e ordenar á: ‘Levanta-te, ressuscita’”.

O Santo Padre falou em sua catequese sobre a esperança cristã com a realidade da morte, “uma realidade que a nossa civilização moderna tende cada vez mais a cancelar. Assim, quando a morte chega para alguém que nos é querido, ou a nossa própria morte, nos encontramos despreparados”.

Apesar disso, o Pontífice recordou que a natureza humana está muito vinculada à morte e a prova disso é que “os primeiros sinais de civilização humana transitam por meio deste enigma. Poderíamos dizer que a civilização humana nasceu com o culto aos mortos”.

“A morte desnuda nossa vida”, indicou. “Faz-nos descobrir que nossos atos de orgulho, de ira, de ódio, eram vaidade. Arrependemo-nos de não ter amado o suficiente e de não ter buscado o essencial. E, ao contrário, vemos aquilo realmente bom que semeamos”.

Francisco assinalou que Jesus iluminou o mistério de nossa morte. “Com seu comportamento nos autoriza a nos sentirmos tristes quando uma pessoa se vai. Ele ficou profundamente triste diante do túmulo de seu amigo Lázaro e chorou. Nesse comportamento, sentimos Jesus muito próximo, o sentimos como nosso irmão”.

Então, Jesus rezou ao Pai, fonte de vida, e ordenou que Lázaro saísse do sepulcro. “E, então, ressuscita! A esperança cristã se apoia nesse comportamento que Jesus assume contra a morte humana”.

O Papa se referiu a outro episódio evangélico que reforça a esperança cristã diante da morte. “Em outro trecho do Evangelho se conta de um pai cuja filha estava muito doente, e se dirige com fé a Jesus para que a salve. Não há figura mais comovente do que a de um pai ou uma mãe com um filho doente. Imediatamente, Jesus se encaminha com aquele homem, que se chamava Jairo, junto a sua filha. Em certo momento, chegou alguém da casa de Jairo e lhe diz que a menina morreu e que já não é necessário chamar o Mestre”.

Entretanto, Francisco sublinhou a enorme fé de Jairo. “Jesus lhe disse: ‘Não temas, somente tenha fé’. Jesus sabe que o homem é tentado a reagir com raiva e desespero, e lhe pede que preserve a pequena chama que permanece acesa em seu coração: a fé. Em seguida, chega à sua cassa e desperta a menina da morte e a devolve viva a seus entes queridos”.

Além disso, em sua catequese, o Santo Padre recordou as próprias palavras de Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida, quem crê em mim, mesmo se morre, viverá. Crês nisto?”. “Isso é o que Jesus repete a cada um de nós sempre que a morte vem arrancar do tecido da vida e dos afetos”.

“Toda a nossa existência se joga aqui entre a fé e o precipício do medo”. “Somos todos pequenos e indefesos diante do mistério da morte”, assegurou. Entretanto, “que graça se naquele momento preservamos no coração a pequena chama da fé”.

No momento da morte, concluiu o Papa, “Jesus nos tomará pela mão, como fez com a filha de Jairo, e ordenará: ‘Levanta-te, ressuscita’”.

Por ACI Digital

Católico