Niterói

Durante Audiência Geral Papa recorda sua visita à Colômbia

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 13-09-2017, Gaudium Press) Em sua primeira Audiência Geral após seu retorno da Colômbia, o Papa Francisco recordou os principais marcos de sua viagem pelo país andino.

Depois de agradecer as autoridades que colaboraram com o feliz término de seu périplo pela Colômbia, e de dizer que esse povo era feliz e cheio de esperança em meio ao sofrimento, o Pontífice recordou as principais etapas de sua viagem.

De sua passagem por Villavicencio, onde beatificou Dom Jesús Jaramillo Monsalve, Bispo, e Pedro María Ramírez Ramos, sacerdote, ambos mártires por ódio à Fé, o Papa disse que a "beatificação dos dois mártires recordou que a paz é fundada também, e sobretudo, sobre o sangue de tantos testemunhos do amor, da justiça e também de mártires verdadeiros, assassinados pela Fé, como os dois citados. Ouvir suas biografias foi comovente até as lágrimas: lágrimas de dor e de alegria. Diante de suas Relíquias e seus rostos, o santo povo fiel de Deus sentiu forte sua própria identidade, com dor, pensando às tantas, muitas vítimas, e com alegria, pela misericórdia de Deus que se estende sobre os que o temem (Cfr. Lc 1,50)".

De sua jornada em Medellín, onde teve o encontro com a vida consagrada, o Pontífice enfatizou seu desejo de que a vida cristão seja assumida "como discipulado: a vocação e a missão. Quando os cristãos se comprometem completamente no caminho do seguimento de Jesus Cristo, se fazem verdadeiramente sal, luz e fermento no mundo, e os frutos são abundantes".

De sua passagem por Cartagena de Índias, "a cidade de São Pedro Claver, apóstolo dos escravos", o Papa assinalou que o "o 'focus' foi sobre a promoção da pessoa humana e dos seus direitos fundamentais. São Pedro Claver, como mais recentemente Santa Maria Bernarda Bütler, deram a vida pelos mais pobres e marginalizados e, assim, mostraram o caminho da verdadeira revolução, aquela evangélica, não ideológica, que liberta verdadeiramente as pessoas e as sociedades das escravidões de ontem e, infelizmente, também de hoje. Nesse sentido, "fazer o primeiro passo" - o lema da viagem - significa aproximar-se, inclinar-se, tocar a carne do irmão ferido e abandonado. E fazê-lo com Cristo, o Senhor que se tornou escravo por nós. Graças a Ele há esperança, porque Ele é a misericórdia e a paz.

O Pontífice concluiu sua meditação encomendando mais uma vez a Colômbia aos amparos de sua Padroeira, Nossa Senhora do Rosário de Chiquinquirá. (EPC)

Católico