Niterói

3ª Caminhada das Famílias reflete a família e seu papel na sociedade

A Família na Doutrina Social da Igreja é compreendida como o princípio da sociedade, como primeira sociedade natural, fundada com o matrimônio  (vínculo entre um homem e uma mulher que se perpetuará até a morte separá-los); a família é o santuário da vida, a quem é atribuída uma tarefa educativa, que é direito dos filhos; é protagonista da vida social e deve ter a sociedade a seu serviço.

Lemos no Catecismo da Igreja Católica: A família no plano de Deus –  NATUREZA DA FAMÍLIA

A comunidade conjugal está fundada no consentimento dos esposos. O casamento e a família estão ordenados para o bem dos esposos, para a procriação e a educação dos filhos. O amor dos esposos e a geração dos filhos instituem, entre os membros de uma mesma família, relações pessoais e responsabilidades primordiais.

Um homem e uma mulher, unidos em casamento, formam com seus filhos uma família. Esta disposição precede todo reconhecimento por parte da autoridade pública; impõe-se a ela (isto é, não depende da autoridade civil para se constituir), e deve ser considerada como a referência normal, em função da qual devem ser avaliadas as diversas formas de parentesco.

Ao criar o homem e a mulher, Deus instituiu a família humana e dotou-a de sua constituição fundamental. Seus membros são pessoas iguais em dignidade. Para o bem comum de seus membros e da sociedade, a família implica uma diversidade de responsabilidades, de direitos e de deveres.

Pela união dos esposos realiza-se o duplo fim do matrimônio: o bem dos cônjuges e a transmissão da vida. Esses dois significados ou valores do casamento não podem ser separados sem alterar a vida espiritual do casal e sem comprometer os bens matrimoniais e o futuro da família.

Assim, o amor conjugal entre o homem e a mulher atende à dupla exigência, a da fidelidade e a da fecundidade.

A família deve ser ajudada e defendida pelas medidas sociais apropriadas. Quando as famílias não são capazes de desempenhar suas funções, outros organismos sociais têm o dever de ajudá-las e de apoiar a instituição familiar. De acordo com o princípio da subsidiariedade, as comunidades mais amplas cuidarão de não usurpar seus poderes ou de interferir na vida da família.

A importância da família para a vida e o bem-estar da sociedade acarreta uma responsabilidade particular desta última, no apoio e no fortalecimento do casamento e da família. Que o poder civil considere como dever grave “reconhecer e proteger a verdadeira natureza do casamento e da família, defender a moralidade pública e favorecer a prosperidade dos lares”.

A comunidade política tem o dever de honrar a família, de assisti-la e de lhe garantir, sobretudo:

* o direito de se constituir, de ter filhos e de educá-los de acordo com suas próprias convicções morais e religiosas;

* a proteção da estabilidade do vínculo conjugal e da instituição familiar;

* a liberdade de professar a própria fé, de transmiti-la, de educar nela os filhos, com os meios e as Instituições necessárias;

* o direito à propriedade privada, à liberdade de empreendimento, ao trabalho, à moradia, à emigração;

* de acordo com as instituições dos países, o direito à assistência médica, à assistência aos idosos, aos abonos familiares;

* a proteção da segurança e da saúde, sobretudo em relação aos perigos, como drogas, pornografia, alcoolismo etc.;

* a liberdade de formar associações com outras famílias e, assim, serem representadas junto às autoridades civis.

Em Defesa da Família, pela terceira vez o Vicariato São Gonçalo realizou no domingo, dia 20 de agosto, quando comemoramos a solenidade da Assunção de Nossa Senhora e o encerramento da Semana Nacional da Família.

Milhares de fiéis participaram da 3ª Caminhada das Famílias, que saiu da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no Galo Branco, em direção ao Rincão do Senhor. O tema escolhido foi “Família, uma luz para a vida em sociedade”.

Dom Luiz Ricci, Bispo Auxiliar de Niterói, falou um pouco antes da caminhada sair: “…vamos deixar esse testemunho que acreditamos na família. (…) nós todos caminhamos para a casa do Pai, e a caminhada, romaria, nos faz lembrar isso. Hoje é domingo, dia de festa, dia da Assunção de Nossa Senhora, e recordamos sempre, no domingo, a Páscoa de Cristo. Vamos caminhar, sabendo que um dia também faremos nossa páscoa na Páscoa de Jesus.”

Na chegada da Caminhada, Dom José Francisco, Arcebispo de Niterói, presidiu a Santa Missa, concelebrada por padres dos Vicariatos São Gonçalo. Em sua homilia, Dom José Francisco, destacou a importância da família na sociedade. É dever do cristão defender a família.

No final da celebração Dom José Francisco abençoou os fiéis presentes.

Por João Dias com informações do Catecismos da Igreja Católica
Fotos: Padre Ricardo Mota  

Católico