Niterói

NOSSA SENHORA – Santa Maria Mãe de Deus

nossa_senhora_do_perpetuo_socorro_1É significativo a Igreja propor começarmos o ano civil com a lembrança de uma realidade tão importante, a maternidade Divina de Maria. Uma data tão importante que se tornou Dogma de fé, Solenidade, dia santo de guarda.

De fato, a maternidade Divina de Maria é uma realidade, é algo palpável e verdadeiro, comprovado pela Palavra de Deus, como podemos ver em Lucas 1,28ss.

São Gabriel, quando fala com a Virgem, a primeira coisa que diz é Alegra-te Cheia de Graça. Ele reconhece que a Graça de Deus em Maria é mais do que abundante, é superabundante, é transbordante, é plena.

Somente uma mulher especialmente preparada por Deus, plena da Graça, para ser escolhida para uma Missão tão grande, o plano de Salvação da humanidade.

Em seguida, o Arcanjo proclama a maternidade Divina, ao dizer que ela seria a mãe do Salvador.

O Salvador da humanidade só pode ser o próprio Deus.

Portanto, Maria, ao gerar em seu ventre o Salvador (Deus), logo se torna a mãe de Deus.

Há pouco tempo comemorávamos o Natal do Senhor. Comemorando o nascimento de Cristo, estamos comemorando o nascimento de nossa Salvação, e tudo isso pelo sim da Santíssima Virgem Maria.

Portanto:

“Salve! Verdadeiro corpo nascido da Maria Virgem!
Verdadeiramente sofrido e imolado pelo homem na cruz.
De teu lado transpassado brotou água e sangue.
Sede por nós o penhor no momento da morte.
Ó Jesus doce, ó Jesus piedoso, ó Jesus, filho de Maria!”

(Ave verum século XIII)

Por Michael Sales

Católico