Niterói

SUPERANDO LIMITAÇÕES – A todos um natal mais altruísta

Vivemos em um mundo não de escassez, mas de abundância. Porém, o egoísmo dilacera a possibilidade de compartilhar.

O individualismo refere-se à noção de que cada um de nós é um ser autônomo, específico, com características próprias, com preferências diferentes, sendo que todos temos direito a ser quem somos, diferentemente do egoísmo.

O egoísmo tende a significar que alguém pensa em si mesmo, ignorando todos os outros a sua volta. Tende também a contrapor-se ao conceito de altruísmo, que se refere a alguém que não apenas pensa em si, mas pensa também nos outros.

A palavra altruísmo foi criada por Auguste Comte, filósofo francês, em 1830, que a caracterizou como o grupo de disposições humanas, sejam elas individuais ou coletivas, que inclinam os seres humanos a se dedicarem aos outros. Portanto, altruísmo não é sinônimo de solidariedade, é um conceito muito mais amplo.

A solidariedade é um ato de bondade para com o próximo, ou um sentimento, uma união de simpatia, interesses ou propósitos entre os membros de um grupo; já o altruísmo é um conceito que se opõe ao egoísmo, é fazer o próprio papel na vida, por gosto e vocação, com dedicação e empenho, da melhor forma possível, dando aos outros o exemplo do bom exemplo, mesmo que isto custe algum sacrifício.

Exemplos de altruísmo são encontrados em Santa Teresa de Calcutá, São Francisco de Assis, entre outros, que mostraram que ser altruísta é preocupar-se com o próximo, sem distinção de idade, gênero, credo, nacionalidade, opinião política ou hábitos.

Que neste natal reflitamos sobre o nascimento do menino Deus, que habitou entre nós. Que este mistério de amor nos impulsione para que não sejamos apenas solidários, mas a exemplo de muitos santos, sejamos altruístas, testemunhando com a vida o reino da paz e da justiça, fazendo realmente acontecer o nascimento do Menino Jesus em nossos corações e em nossas ações.

Feliz Natal, família!

Por Drª Loíse de Oliveira Caputo

Católico