Niterói

A FÉ EM QUESTÃO – “E vós, quem dizeis que eu sou?” (Mt 16,15)

A pergunta de Jesus aos seus discípulos pode e deve ser feita a cada um de nós! Essa pergunta nos orienta no tempo de preparação para o Natal que estamos vivenciando.

Quando dizemos: “creio em Jesus Cristo, Seu único Filho, nosso Senhor”, nem sempre nos damos conta de que essa profissão de fé compreende duas dimensões: um ato de fé na Pessoa de Jesus Cristo e um ato de adesão ao Seu senhorio na nossa vida.

O mistério do Natal, que é o Mistério da Encarnação de Deus, nos aponta para a contemplaçào de Jesus como Deus feito homem, com um história concreta, e que Se torna semelhante a nós. Por isso, não podemos alimentar ou permitir uma mentalidade  contemporânea que deseja anular a concretude da vida e da história de Jesus, como Se Ele fosse quase um “espírito iluminado” que veio à terra, ou coisa parecida. Nem podemos concordar com a ideia de Cristo como mais um grande líder da humanidade. É necessário retornar sempre ao dado da fé que recebemos sobre Jesus, desde o período apostólico.

Nossa profissão de fé nos mostra Jesus como Filho primogênito do Pai, no qual nós nos tornamos Seus filhos. Esse dado gera, em nós, a consciência da nossa filiação divina, que nos conduz a uma vida semelhante a de Cristo. Da mesma forma, nossa profissão de fé nos faz reconhecer Jesus como Senhor da nossa vida. Por isso, nem nós, nem outra pessoa ou qualquer coisa pode ocupar o lugar central do senhorio de  Cristo em nossa vida. Ele é o Senhor!

Os mistérios da vida e Cristo iluminam os mistérios da nossa vida: na Sua vida, reconhecemos a nossa e vice-versa. Com isso, percebemos o quanto é urgente que conheçamos a vida de Cristo e, para isso, não existe melhor meio do que tomar, em nossas mãos, os evangelhos. Ainda não consigo entender um cristão que não foi capaz de ler os evangelhos… Como podemos seguir uma Pessoa que não conhecemos, que não sabemos o que falou?

Alfonso García, buscando aprofundar a verdade sobre Cristo, intitula um dos seus livros, com uma provocação: O encontro com Jesus Cristo Vivo. O autor nos oferece um pequeno guia de Cristologia, que nos permite tomar consciência da pessoa real de Cristo no hoje da história  e nos concede uma orientação mais fácil dos mistérios da vida de Cristo. García nos ajuda a atualizar o pensamento de Rahner, quando afirmava, que toda Cristologia precisa falar da relação pessoal do cristão com Jesus Cristo.

Sendo assim, cabe-nos um aprofundamento no mistério de Jesus para compreendê-lO corretamente e aderirmos a Ele com consciência.

É urgente que a verdadeira preparação do Natal tire nossos olhos dos presentes, das comidas, viagens e encontros e nos coloque diante de Jesus Cristo, para que possamos responder com consciência quem Ele é para nós!

Pe. Douglas Alves Fontes 

Católico