Niterói

LUZ DE FÁTIMA – A Penitência nas Mensagens de Fátima

N-Sra-de-FatimaOs estudiosos apresentam a Penitência a partir da visão do pecado como um dado constante nas Mensagens de Fátima, nas suas várias dimensões:

Na dimensão teológica, mostrando o pecado como ofensa a Deus. Na Mensagem do Anjo de Portugal ele pede: Consolai o Vosso Deus e Nossa Senhora em Maio, pede reparação a Deus <<pelos pecados com que Ele é ofendido>> e sobretudo em Outubro pede: <<Não ofendam mais a Deus Nosso Senhor que já está muito ofendido e os Pastorinhos a lembrarem a recomendação de Nossa Senhora: Nosso Senhor está triste, porque Nossa Senhora disse-nos para não O ofenderem mais que já está muito ofendido.>>

Na dimensão cristológica, o pecado ofende a Jesus: Esta dimensão do pecado  é sublinhada de modo particular na aparição do Anjo que na Oração a Santíssima Trindade, fala de <<ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido e a seguir, “depois levantando-se, tomou de novo na mão o Cálix  deu-o para beber a Jacinta e a Francisco, dizendo ao mesmo tempo: Tomai e bebei  o Corpo e Sangue de Jesus Cristo horrivelmente ultrajado pelos homens ingratos…>>

A mesma perspectiva do pecado aparece particularmente nas palavras de Nossa Senhora, muito particularmente na oração que ela mesmo ensinou aos Pastorinhos em Julho para ser rezada depois de cada dezena: Ó meu Jesus perdoai-nos livrai-nos do fogo do inferno…>> Vem certamente aqui a razão de Nossa Senhora ter mostrado em Junho às três crianças o seu coração cercado de espinhos.

A dimensão pessoal do pecado está bem patente nos apelos veemente que saem da boca de Nossa Senhora em favor dos pecadores. Parecem gritos aflitos da mãe que sabe em que situações se encontram seus filhos. Ë notável est sentido de aflição na aparição de Julho onde Ela pede insistentemente sacrifícios pelos pobres pecadores; expressão já usada pelo Anjo na sua Aparição. A partir dai as crianças não perderam a oportunidade  de  tudo sofrer  por eles.

Quanto a Dinâmica penitencial, é uma fuga de si mesmo para ir ao encontro de Deus. É deixar de pensar em nós mesmos para nos voltarmos para Deus e para os outros que são para nós setas indicativas de Deus. Basta olharmos para a vida dos Pastorinhos, Não falavam nunca de si próprio,  a não ser para pedirem para irem para o Céu.

Conta Lúcia: na doença o Francisco mostrou-se sempre muito alegre e contente. Às vezes perguntava-lhe: – Sofres muito Francisco

– Bastante; mas não importa. Sofro para consolar Nosso Senhor; e, depois vou para o Céu!

Um dia de madrugada, cedo sua irmã Teresa vai chamar-me: Vem cá depressa. O Francisco está muito mal e diz que vai te dizer uma coisa!

Vesti-me depressa e la fui. Pediu a mãe e irmãos para saírem do quarto, que era segredo o que me queria. Sairam e ele disse-me: É que vou me confessar para comungar e depois morrer. Queria que me dissesse se me viste fazer algum pecado e que fosses perguntar a Jacinta se me viu fazer algum.

–  Desobedeceste algumas vezes a tua mãe, lhe rspondi

– quando ela te dizia que te deixasses estar em casa e tu te escapavas para o pé de mim e para ires te esconder – É verdade!  Tenho esse. Vai perguntar à Jacinta.Lá fui, e a Jacinta depois de pensar um pouco respondeu-me

– Olha:  diz-lhe  que, ainda antes de Nossa Senhora aparecer, roubou um tostão ao pai, para compra o realejo ao José Marto, e que quando os rapazes de Aljustrel atiraram pedras aos de Boleiros, ele também atirou algumas.

 – Quando lhe dei esse recado da irmã, ele respondeu: -Esses já os confessei, mas torno a confessá-los. Se calhar é por causa destes pecados que eu fiz a Nosso Senhor está tão triste! Mas, ainda que eu não morresse, nunca mais os tornava a fazer. Agora estou arrependido. E pondo as mãos, rezou Ó meu Jesus perdoai-nos…        – Pede tu também a Nosso Senhor que me perdoe os meus pecados.  –  Peço sim; está descansado. Se Nosso Senhor te  não tivesse perdoado, não dizia Nossa Senhora, ainda outro dia, que te vinha buscar muito breve para o Céu. Agora eu vou à missa e lá peço a Jesus escondido por ti.

 Nossa Senhora nas mensagens de Fátima pede o essencial: o estado de graça, necessário e suficiente para ganharmos o Céu. O que nos deve impulsionar para atendermos o Seu pedido é o desejo de reparar o amor de Deus ultrajado”, através da reparação ao Seu Imaculado Coração, que é Um com o d’Ele, sem olharmos a qualquer recompensa . Tudo isto implica, evidentemente, arrependimento e penitência, aquela penitência que Jesus também diz: o sacrifício de cada um exige o cumprimento do próprio dever e a observância da Minha Lei: É essa a penitência que agora peço e exijo. As Mensagens de Fátima, é um convite para sermos a exprssão do rosto  Misericordioso de Jesus.

Seja o Imaculado Coração de Maria o nosso refúgio e Caminho que nos conduz a Deus.

Salve Maria!

                           Por Ir. Salete Porfirio MSF

Católico