Niterói

LUZ DE FÁTIMA – Junho 2016

N-Sra-de-FatimaO mês de maio é o mês das Mães. Mês das flores, mês de Maria. É o mês em que muitas mães e filhos homenageiam, de modo especial, a Santíssima Mãe MARIA. Mês mariano, durante todo o mês, Maria é ornada com flores, louvores, cantos e novenas, reza do Santo Rosário, ladainhas. Em regiões  com festas folclóricas, é levada em procissões luminosas, arrodeada de anjinhos e em lindos andores, com hinos e foguetões. Sempre colocada lindamente em altares ornamentados com flores regionais. Este é um mês especial! Mês das Mães. As Mães que Deus escolheu para nos gerar, criar, educar, proteger e amar.

Para homenagear a Mãe do Filho de Deus, alguém, muito sabiamente, escolheu este mês, por ser ele todo florido, fazendo um comparativo com Maria: “A flor mais bela do jardim de Deus!”

Dedicar um mês a Maria, com certeza é uma prática bem antiga, chega a ser difícil ter uma precisão de data; é, antes de tudo, algo que faz parte da tradição do povo,
que nas Igrejas e capelas do mundo inteiro lhe dedicam ofícios, ladainhas, terços e as belas coroações.

Maio: mês dedicado à Maria, à Senhora do Rosário. Nossa Senhora de Fátima, em junho, veio pedir reparação ao Seu Imaculado Coração. Junho: dedicado ao Sagrado Coração de Jesus. “Os Corações de Jesus e de Maria têm desígnios de misericórdia sobre vós”. Estes meses encontraram-se entre si, de tal maneira, que nos parece reconhecer nisso um chamamento especial de Deus para toda a humanidade, para todos os pobres pecadores.

‘Aquilo que se opõe mais diretamente à caminhada do homem em direção a Deus é o pecado, o perseverar no pecado, enfim, a negação de Deus. O programado cancelamento de Deus do mundo do pensamento humano. A separação d’Ele de toda a atividade terrena do homem. A rejeição de Deus por parte do homem. Na verdade, a salvação eterna do homem somente em Deus se encontra.’ “A rejeição de Deus por parte do homem, se se tornar definitiva, logicamente conduz à rejeição do homem por parte de Deus (Cf. Mat. 7, 23; 10, 33), à condenação”.

Poderá o Coração da Mãe, que deseja a salvação de todos os homens, com toda a força do seu amor, que se alimenta do Espírito Santo, poderá Ela ficar calada acerca daquilo que mina as próprias bases desta salvação? Não, não pode! Por isso, no Mês de maio, mês que a humanidade dedicou-lhe, Ela desceu do Céu para falar a todos filhos de Deus, através das três crianças, para que tocados pela pela graça sobrenatural, convidassem a todos para uma vida cristã plena, uma vida evangélica com autenticidade. O próprio pedido de Nossa  Senhora “não ofendam mais a Deus Nosso Senhor, que já está muito ofendido”, fez desabrochar naqueles pequenos corações o desejo intenso de amar Jesus e de imitá-Lo. A  primeira dimensão foi, sem dúvida, o horror a tudo o que pudesse ser pecado e ofensa a Jesus. Fazer tudo por amor a Jesus e  em reparação dos pecados, cometidos contra o Imaculado Coração de Maria, e nada fazer que possa magoar o Santíssimo Coração de Jesus. Isso significa que os Corações de Jesus e de Maria nos propõem uma vida de virtude, de luta, de pequenas  e grandes vitórias por amor.

Nas aparições de Fátima, como os pastorinhos, somos chamados a uma vida intensa de orações, de modo especial do Santo Terço, de penitência, e a imitar Jesus na Sua dimensão de caridade e de bem fazer, desejando ajudar, servir, consolar a todos, de modo particular os doentes, os que sofrem, e que nos venham pedir orações.

Como os pastorinhos, somos convidados ainda, a viver segundo o modo do Bom Pastor, na solicitude pelas ovelhas perdidas, pela conversão e salvação dos pecadores, como Jesus, ter um coração misericordioso…  Como o Imaculado Coração de Maria, acolher, amar, servir, fazer-se oblação, para que todos tenham vida e vida em plenitude! Olhando os pastorinhos, ainda somos convidados a viver em obediência à Santa Igreja, e a sustentá-la, nas pessoas do Santo Padre o Papa, de nossos Bispos, do clero, e do mundo todo, com muitas orações. Ter sede de salvar almas. Que ninguém vá para o inferno e que vivamos este desejo, do modo de Jesus, que quis beber o cálice até o fim, para a redenção da humanidade.

Maria foi Mãe para os pastorinhos e o é para cada um de nós, e nos oferece o Seu Imaculado Coração como refúgio e caminho para Deus.

Salve Maria!

                           Por Ir. Salete Porfirio MSF

Católico